O Dicionário da Telecom

Lembro quando assisti O Lobo de Wall Street no cinema, achei o máximo os caras negociando na #vidaloka. Mas confesso que em algumas partes do filme boiei por não conhecer o significado dos termos e siglas que eles utilizam. Long, short, hunting elephants, Junked up e por aí vai. O não conhecimento desses termos dificulta o entendimento de algumas passagens do filme e geram um breve sentimento de frustração, que passa rapidamente quando você se imagina no Iate sendo o Leonardo DiCaprio :p. Isso não acontece só com filmes da bolsa de valores, obviamente, experimente assistir um documentário de física quântica sem saber nada do assunto (dica: vai ser extremamente entediante).

Quando caí nesse mundo louco de telecom e faturas de telefonia há uns três anos atrás, uma coisa que me assustou foi a quantidade de siglas desconhecidas. VC1, VC2, VC3, IR, IG e por aí vai. Não ter o entendimento claro de cada um desses conceitos podem gerar erros na elaboração de propostas ou até mesmo um mico na frente do cliente (ainda mais se ele souber o que significa).

Pensando nisso, resolvi reunir algumas dessas siglas e seus respectivos significados, com o intuito de ajudar os recém chegados a telecom e até refrescar a memória dos que têm mais tempo de casa.

VC1, VC2 e VC3

Se você trabalha com telecom ou já teve que analisar a sua fatura ou contrato de telefonia, provavelmente já esbarrou com o termo VC e deve ter pensado - O que significa isso? VC é o tipo da chamada, uma abreviação para Valor de Comunicação e se subdivide em 3 grupos, VC1, VC2 e VC3. A classificação em cada um desses três tipos varia de acordo com a localidade física do telefone que originou e que recebeu e não apenas do código de área de ambos. Dois telefones de DDDs diferentes podem falar entre si e ainda assim caracterizar uma ligação local, mas isso é assunto para outro post. Nesse artigo abordaremos apenas os casos mais simples, onde o originador da chamada encontra-se fisicamente no seu próprio município, onde foi registrado o seu número.

VC1 - Ligação Local

VC1

São as ligações locais, onde o telefone que recebeu a chamada encontra-se no mesmo DDD do telefone que efetuou a chamada. Por exemplo: O originador da chamada cujo DDD é 11, ligou de São Paulo/SP para um telefone de São Paulo/SP. Essa é a clássica chamada local que todos conhecemos.

VC2 - Interurbano Regional

VC2

VC2 ou interurbano regional ocorre quando um número de um DDD efetua uma chamada para um número de outro DDD, porém o primeiro dígito é o mesmo. Por exemplo, uma ligação de um número de São Paulo/SP (11) para um 19, de Campinas/SP, caracteriza um VC2. Isso porque o primeiro dígito do DDD, nesse caso o 1, é o mesmo e o segundo dígito é diferente.

VC3 - Interurbano Nacional

VC3

Se você entendeu o VC2, ficou fácil entender o VC3. Também chamado de interurbano nacional, ocorre quando um número de um DDD efetua uma chamada para outro DDD de outra região, onde o primeiro dígito difere. Por exemplo, um número de São Paulo (11), efetua uma ligação para um número de Curitiba/PR (41). Nesse caso o primeiro dígito é diferente, então é uma ligação VC3.


Intra-Rede ou On Net

Intra-Rede ou IR são as chamadas entre números da mesma operadora e podem ser VC1, VC2 ou VC3. De Claro para Claro ou Vivo para Vivo por exemplo, caracteriza IR.

Intra-Grupo

Intra-grupo, para os íntimos IG, são as ligações entre números do mesmo CNPJ. Por exemplo, quando um número da EMPRESA DE BISCOITOS LTDA, fala com outro número dessa mesma empresa, dizemos que é uma ligação do tipo IG. Ligações entre filiais diferentes não caracterizam IG. Note que esse conceito pode coexistir com VC1, VC2 ou VC3, uma vez que é possível termos uma chamada entre números da mesma empresa, porém em regiões diferentes. As ligações IG são um subgrupo das ligações IR.

Móvel outras Operadoras ou Off Net

Como o próprio nome já diz, são chamadas efetuadas entre operadoras. Essas são as mais caras, pois uma operadora tem que pagar para outra operadora para utilizar a sua infra-estrutura. Também podem estar categorizadas em VC1, VC2 ou VC3.

Portabilidade

Portabilidade é o nome dado ao ato do cliente trocar de operadora de telecom e manter o seu número de linha.

Há alguns anos atrás, se o cliente de telecom quisesse fazer essa mudança, era obrigado a trocar seu número de telefone também. Não era possível manter o número e trocar apenas o fornecedor. Com a resolução nº 460 isso mudou. A Anatel obrigou as operadoras a fornecerem a opção de portabilidade para o consumidor.

M2M ou Telemetria

O termo M2M significa Máquina para Máquina, que permite sistemas ou dispositivos com ou sem fio conversarem entre si. Os chips M2M comercializados pelas operadoras podem atender infinitas aplicações, mas a mais comuns que vemos hoje são: Rastreamento veicular, monitoramento residencial e máquinas de cartões.

TT

TT ou Transferência de Titularidade é a troca do proprietário de um número de linha. O caso mais comum é uma pessoa física transferir a propriedade do seu número para a empresa, no ato da contratação de um plano corporativo. Porém, pode existir ainda o caminho inverso, de uma pessoa jurídica para pessoa física ou até entre PJs.

As vezes acontece da linha de PF ser de uma operadora e o cliente quer migrar para um plano corporativo de outra operadora. Nesse caso é um mais chato, pois é necessário fazer primeiro a portabilidade como PF e depois a transferência de titularidade.

ARPU

ARPU não é um termo exclusivo da telecom, mas é muito utilizado nesse meio. É a abreviação para Average revenue per user, ou em português, receita média por usuário. Em telecom, é o valor de receita média por acesso ou linha. Um contrato de 12 linhas e R$ 1200,00 tem um ARPU de R$ 100,00 por linha. Simples, não?

Chip Mudo ou Chip de Gaveta

header-minerador

Se você já utilizou o Minerador, deve ter observado que ele mostra na tela de Plano de Vendas a quantidade de linhas mudas. Chip mudo ou Chip de Gaveta se referem a mesma coisa. São as linhas que não tem utilização e estão gerando custos para o cliente. Aqui vale lembrar que mesmo que a linha não tenha consumo, pode ser que ela não seja muda, as vezes a linha não tem consumo no mês que você está analisando ou ela só recebe chamadas. Fique atento!

Bom, agora que você já conhece os termos pode sair falando por aí e dando risada dos colegas que não sabem =P. Brincadeiras à parte, caso tenha sentido falta de algum termo, deixe nos comentários a sua contribuição.

-Xuxa, gostaria de mandar um agradecimento especial ao Neto da Vox Mobile, ao Guilherme Horst da Vox Claro (sim, são duas Vox) e ao Marcelo Donato da Claro, que me ajudaram com ideias e materiais para escrever esse post.

Um abração e até a próxima.